Projetos Culturais

Subunidades

Pós-Graduação

Cursos Técnicos

Cursos Livres

Pesquisa

Extensão

Ensino

Publicações Eletrônicas

Editais

Banner
Banner
Banner
Banner

Notícias
Projetos Culturais Print
Atualmente, o ICA, por meio de suas três sub-unidades, dá continuidade a grandes e importantes projetos culturais para a comunidade: o ENARTE (33ª edição), o Auto do Círio (12ª edição) e o Fórum de Pesquisa em Artes (3ª edição).

 

 

- ENARTE

 

ENARTO Encontro de Arte de Belém é um evento artístico-educacional que acontece ininterruptamente desde 1973, sob a coordenação da Escola de Música da UFPA. O ENARTE foi concebido pelo pianista e compositor Altino Pimenta, com o objetivo de promover a integração dos setores artísticos da UFPA, nas áreas de Música, Dança, Teatro, Artes Visuais e Literatura, tendo como público a comunidade universitária e a comunidade em geral. A realização de evento por ocasião do Círio de Nazaré é uma estratégia para divulgar mais amplamente as atividades artístico-educacionais da UFPA, aproveitando o grande fluxo de turistas na cidade. O evento hoje faz parte do calendário artístico local, como um marco cultural do Estado. O ENARTE acontece no mês de outubro. Compreende cursos, workshops, master classes e oficinas voltados à atualização dos professores e alunos da UFPA e interessados, ministrados por profissionais renomados nas diferentes áreas, que vêm a Belém para participar do evento. Os espetáculos do ENARTE são realizados nos principais espaços públicos da grande Belém, como: Teatro da Paz, Igreja de Santo Alexandre, Espaço São José Liberto, Teatro Maria Sylvia Nunes, Teatro Margarida Schwazzappa, Praça da República, Instituto de Ciências da Arte e Campus da UFPA (Guamá).

 

 Objetivos

Oportunizar à população em geral, o acesso a eventos de natureza artístico-educacional, apresentando produtos da Escola de Música, Escola de Teatro e Dança, Faculdade de Artes Visuais e convidados;Fortalecer as áreas de Música, Dança, Teatro e Artes Visuais, buscando a ampliação da política de valorização artístico-cultural pelas instituições, entidades e empresas locais e regionais;Contribuir para o desenvolvimento qualitativo e quantitativo das Artes no Estado do Pará, por meio de espetáculos e cursos que estimulem intercâmbio de experiências entre profissionais locais e que promovam a atualização nas diversas linguagens artísticas, ao público em geral;Possibilitar a participação de novas propostas e projetos alternativos, de caráter artístico-educacional, que envolvam a inclusão de pessoas da comunidade;Ajudar, através deste projeto, pessoas a terem melhor qualidade de vida através da arte.

 

- AUTO DO CÍRIO

 

Auto do CírioO projeto O Auto do Círio foi concebido em 1993, como forma de revitalizar o Centro Histórico de Belém por ocasião do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, além de possibilitar o exercício da prática do ensino das artes através do Teatro de Rua, tendo como roteiro central o Círio de Nazaré. Para dar início ao processo, o projeto contou com a consultoria do teatrólogo AMIR HADDA, que realizou a primeira oficina de Teatro de Rua e dirigiu as montagens de 1993 e 1994.O projeto possibilita o acesso e a compreensão do fazer artístico desenvolvido na academia, além de proporcionar belíssimo espetáculo a céu aberto, o único dessa dimensão na Região Norte. O projeto teve seu reconhecimento pelos órgãos responsáveis pelo desenvolvimento do turismo no Estado, passando a integrar as agendas de eventos no mês de Outubro, como forte atrativo turístico. Sua manutenção ao longo dos doze anos se deu através da aceitação da sociedade que conferiu ao projeto o reconhecimento como bem imaterial associado do Círio de Nazaré - IPHAN/MINC.Esta produção vem cada vez mais valorizar a cultura regional através da diversificação de sua interpretação e da releitura de sua essência por meio das artes, despertando o interesse de artistas de outros centros do país. O teatro a céu aberto possibilita também a interação da população residente e circulante com os diversos segmentos da arte e da cultura em um só momento - Artes Plásticas/Visuais (elementos cênicos e figurinos); Artes Cênicas (Teatro, Dança, Circo); Música (Bandas, Orquestras, Percussão, Canto Lírico e Popular), Cultura Popular (Quadrilhas Juninas, Boi-Bumbá, Pássaros Juninos e o Carnaval).O Auto do Círio resultou na Dissertação de Mestrado em Artes Cênicas UFBA/UFPA do Professor MIGUEL SANTA BRÍGIDA, atual diretor cênico do projeto, e obteve repercussão nacional quando integrou o enredo da Escola de Samba Unidos da Viradouro do Rio de Janeiro, no carnaval de 2004, que levou para a avenida o Pará e o Círio de Nazaré como enredo. A adesão dos artistas é a forte característica do projeto. No ano de 2003, contou com a participação do Intérprete de Samba DOMINGUINHOS DO ESTÁCIO, fiel devoto de Nossa Senhora de Nazaré, com a atuação especial dos atores DIRA PAES E LEONARDO VIEIRA; em 2004, de CÁSSIA KISS. Em 2005, FAFÁ DE BELÉM integrou o elenco com outros profissionais, como forma de interação e troca de experiências com os artistas locais.

 

Objetivo

Trata-se da montagem de espetáculo de teatro de rua e tem como finalidade principal a revitalização artístico-cultural dos espaços históricos do bairro da Cidade Velha em Belém do Pará, utilizado como palco e cenário para a encenação de mais de 500 atores, bailarinos, músicos e cantores, com participação ativa da comunidade que se integra ao elenco através do núcleo de oficinas. As oficinas livres preparatórias são oferecidas à comunidade e são realizadas no período de maio a outubro, ministradas por professores mestres das diversas áreas do conhecimento das artes da UFPA e profissionais externos com comprovada competência para o desenvolvimento das ações necessárias para se alcançar os resultados esperados.O processo de criação e concepção resulta no espetáculo “AUTO DO CÍRIO - Drama, Fé e Carnaval em Belém do Pará", sempre na sexta-feira que antecede a procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, que acontece sempre no segundo domingo do mês de Outubro. O cortejo cênico percorre mais de 1 km de extensão sempre acompanhado pelo público, que em cinco momentos (paradas) assiste a uma encenação teatral ou apresentação musical, dança, cultura popular. As paradas são chamadas de estações: 1ª Estação - a Música -tem como cenário de fundo a Catedral da Sé (de onde sai a procissão do Círio de Nazaré); 2ª Estação - o Teatro - acontece em palco montado tendo como cenário o prédio histórico da Igreja de Santo Alexandre que compõe o complexo Feliz Lusitânia; 3ª Estação - A Dança - no Solar do Barão do Guajará, sede do Instituto Histórico Geográfico de Belém; 4ª Estação - A Cultura Popular - como pano de fundo a Capela de São João - obra de Antonio Landi; e a Apoteose - entre os Palácios Antônio Lemos e Lauro Sodré, onde ocorre a culminância das ações (Música, Teatro, Dança, Cultura Popular), que se fundem na maior manifestação popular do país.

 

-FÓRUM DE PESQUISA EM ARTE
 site do III fórum: http://www2.ufpa.br/forumpesquisaemarte

 

 O I Fórum de Pesquisa em Arte foi realizado em 2002, inaugurando espaço de discussão sobre pesquisa e produção de conhecimento em Arte na região Norte do Brasil, ultrapassando, os limites locais. O tema foi Arte & Linguagem, apresentando conferências de especialistas, como Winfred Nöth, Lúcia Santaella, Lia Braga, Valzeli Sampaio e Afonso Medeiros, além de comunicações de pesquisadores e professores de várias universidades.O II Fórum, em 2004, trouxe questões em torno de Arte, Corpo e Tecnologia, dando continuidade e ampliando o campo de discussões e da percepção sobre os desdobramentos da arte no contemporâneo, contando com nomes como Benedito Nunes, Cristine Mello, Fernando Iazzetta, Jerusa Ferreira e Sérgio Farias, entre outros.O III Fórum, realizado em 2006, apresentou o tema Arte, Hibridismo e Interculturalidade, amplificando questões pertinentes do cenário contemporâneo, no qual a utilização de mais de uma linguagem é empregada na elaboração de projetos artísticos, bem como de sua documentação. Hoje, no campo da arte, diversas linguagens são articuladas desde o momento da elaboração de uma obra, até mesmo nos processos de pesquisa e ensino da arte. O emprego de meios diversos produz mecanismos de viabilização do acesso e da compreensão dos processos na arte. A partir dos avanços tecnológicos e da rede mundial de computadores, os processos comunicacionais sofreram forte aceleração, o que facilitou o acesso a imagens e culturas até então jamais experimentados com tamanha disponibilidade. Estes fluxos de informação propiciados pela rede encontram na arte mecanismos de troca de experiência simbólica sem precedentes. Buscando levantar questões sobre os processos contemporâneos frutos da mestiçagem de linguagens e culturas, o III Fórum privilegiou frentes diversas de atuação, com painéis, comunicações, conferências, mostras, performances e intervenções urbanas e na net, percebendo que os processos de conhecimento em arte envolvem, num todo indissociável, a sensação, a percepção e a cognição. O III Fórum de Pesquisa em Arte buscou dar continuidade às reflexões desenvolvidas nos fóri anteriores, consolidando o espaço de comunicação e debate entre pesquisadores, profissionais e estudantes. O Instituto de Ciências da Arte – ICA, numa parceria com a Secretaria de Estado de Cultura (através do Sistema Integrado de Museus); com o Instituto de Artes do Pará – IAP; com a Prefeitura Municipal de Belém (através da FUMBEL e do Museu de Arte de Belém – MABE), propiciou a criação de um território interinstitucional para a reflexão e experimentação de arte, através do Fórum. O Fórum de Pesquisa em Arte propõe-se a abrir espaço para debates e comunicações de textos para os estudiosos da arte, bem como prevê a ampliação do evento para apresentações de painéis, lançamento de livros e mostras de artes visuais. Desta maneira, proporcionar um encontro transdisciplinar em estudos voltados às artes.

 
ICA - AV. Presidente Vargas, S/N, Praça da República - Belém - Pará, CEP: 66017-060
Tel: Secretaria : (91) 3241-5801, Fax: (91) 3241-8369. E-mail: ica@ufpa.br